Menu
Esconder Menu
Nome do Colégio – Homenagem

 

Homenagem ao Historiador Sérgio Buarque de Holanda.

O nome do colégio é uma homenagem ao grande escritor e historiador brasileiro, catedrático da Universidade de São Paulo, autor de livros importantes, notadamente de História do Brasil.

Sérgio Buarque de Holanda nasceu em São Paulo, em 1902. Jornalista, sociólogo e historiador, formou-se em Direito no Rio de Janeiro. Desde cedo, publicou na imprensa estudos sociológicos, ensaios e críticas literárias. Participante do movimento modernista de 1922, fundou a revista Estética com Prudente de Morais Neto, em 1924. Ao longo da década de 20, ao lado de Prudente, tornaram-se amigos de Gilberto Freyre e, movidos pelo interesse comum pela música popular brasileira, travaram conhecimento com os compositores Patrício Teixeira, Donga e Pixinguinha.

Quando ocorreu a Revolução de 1930, Sérgio Buarque de Holanda encontrava-se em Berlim como enviado especial dos Diários Associados à Alemanha, Polônia e Rússia.

Foi durante sua estadia na Alemanha que começou a interessar-se por história e ciências sociais. Ao regressar no ano seguinte, já trazia anotações sobre história do Brasil, que utilizou em sua obra Raízes do Brasil, publicada em 1936. Nesse mesmo ano, tornou-se professor de história do Brasil na Universidade do Distrito Federal. Entre 1937 e 1944, foi chefe de sessão de publicações do Instituto Nacional do Livro e Diretor de divisão da Biblioteca Nacional até 1946. Também foi presidente da Associação Brasileira de Escritores.

Dentre as suas obras, merecem ainda destaque Cobra de Vidro ( 1934 ), Monções ( 1945 ) e Visão do Paraiso ( 1958 ).

Faleceu em São Paulo, em 1982.

Obras :

Antologia dos poetas brasileiros na fase colonial. Rio de Janeiro Ministério da Educação e Saúde/Instituto Nacional do Livro,1952-53. 2v.

Caminhos e fronteiras. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1957. 3ª edição (1994).

Cobra de vidro. São Paulo: Martins, 1944.

Elementos básicos da nacionalidade – o homem. Rio de Janeiro: Estado Maior das Forças Armadas/Escola Superior de Guerra, 1967.

Expansão paulista em fins do século XVI e princípio do século XVII. São Paulo: USP/Faculdade de Ciências de Ciências Econômicas e Administração, 1948.

O Extremo oeste (obra póstuma). São Paulo: Brasiliense & Secretaria de Estado da Cultura, 1986.

Monções. Rio de Janeiro : Casa do Estudante do Brasil, 1945. 3ª edição (1990).

Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1936. 26ª edição (1995).

Tentativas de mitologia. São Paulo: Perspectiva, 1979.

Visão do Paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São Paulo: Saraiva, 1958. Tese (Cátedra de História da Civilização Brasileira) – Faculdade de Filosofia Ciências e Letras, Universidade de São Paulo.

Em 1959 – (torna-se livro, publicado pela editora J.Olympio). 7ª edição (1999).